sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Conversas deles

No outro dia, já não me lembro como começou, o H. estava a falar de jogar no tablet.

O F. responsável no seu papel de irmão mais velho:

- Oh Mano, não se diz taBElete. Diz-se TAblet!

E, perante o ar de deixa-te-também-de-estar-sempre-a-corrigir-me do H., completa:

- É que taBElete é de chocolate!

Pouco mais de 24 horas

Falta pouco mais de 24 horas para terminar o prazo para me entregarem os móveis que encomendei a meio de setembro para o quarto dos miúdos.

Esta semana a senhora da loja ligou-me. Ainda fiquei a pensar que afinal iriam entregar-me os móveis. Afinal não, como esperado. A encomenda chegou mas veio estragada.

Lamento! Tem até sábado para me entregar os móveis. Não percebo a demora. Não pedi nada que não fosse o standard. A fábrica que resolva o problema até sábado. Ainda tentou negociar a minha espera com um desconto. Pedi para formalizar por email que nunca chegou, o que me leva a acreditar cada vez mais que só está a tentar enganar-me.

A senhora ficou doente com a história toda? Pois, eu também já não posso perder mais do meu tempo e da minha paciência. Tenho o quarto virado do avesso à espera dos móveis.

Tenho que gerir a minha desilusão por não ficar com o quarto como idealizei. E a dos miúdos também porque os envolvi na escolha dos móveis.

Segunda feira vai ser hora de reclamar. E de exigir o que é meu. Vai ter consequências negativas? Pois, não é a melhor altura para tal. Para mim também não é.

Chateada

Os miúdos tiraram fotografias na escola.

Mostrei as ditas à família que pediu para ficar com uma cópia.

Excelente lembrança para eles darem na noite de Natal!

Fiz o pedido há cerca de 2 semanas.

Hoje de manhã ainda não tinham chegado.

Segunda-feira o colégio está fechado.

Pronto. Dizer que estou chateada é pouco.

Adenda: Acabaram de me ligar a dizer que as fotos já chegaram ao colégio! Estou super feliz!!!

Durante quanto tempo

vou ter que ouvir a picarem a parede atrás de mim?

Ao fim de 15 minutos fiquei com vontade de desligar o portátil e ir já de férias!

Faltam 8 horinhas!!!

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Avaliações

Hoje comecei o dia com a ida ao colégio para ir buscar a avaliação deste período dos dois rapazes.

O mais velho mantem as excelentes notas que teve no ano passado.

O mais novo surpreendeu-nos bastante pela positiva, ao ter  Muito Bom nas três áreas: Língua Portugues, Matemática e Estudo do Meio.

O calcanhar a Aquíles dos dois é a Expressão Plástica, mas não podemos pedir tudo.

Declaro

Que encerrei oficialmente as compras de Natal.

Ontem consegui comprar as últimas e dei o tema por encerrado.

A partir de amanhã pelas 18 horas vou entrar de férias até dia 5 de janeiro - duas semaninhas que não vai dar para passear muito, mas que conto poder descansar e mimar-me um pouco (nada de mais, mas preciso urgentemente dar um corte ao meu cabelo).

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Só me apetece

Chamar uma quantidade enorme de nomes, daqueles bem cabeludos, a uma determinada pessoa.

Estou mesmo furiosa.

Orfã de filhos

Fomos deixá-los nos Avós ontem ao fim do dia.

Hora e meia de viagem para cada lado debaixo de muito nevoeiro. Chegámos a casa cansadíssimos.

Eles ficaram bem, mas a antecipar as saudades que iriam ter.

Nós viemos já cheios de saudades e a contar os dias que faltam para os termos de novo debaixo da asa. Ok! Vamos aproveitar para estarmos os dois e namorar muito, mas quem já tem família sabe muito bem o quanto sentimos a falta de alguém.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Conversas antes de dormir

Enquanto encho filho mais novo com os medicamentos da praxe (ben-u-ron para ver se o livro da virose que atacou o irmão; xarope para a tosse; spray no nariz que o otorrino receitou para limpeza do nariz), pequeno H. vira-se para mim:

- Mamã, gostava muito de ter uma Mana!

Como é que é? O rapaz ciumento que horas antes estava desesperado porque o irmão, cheio de febre, estava ao meu colo?

- Ai sim? Então porquê?

- Para poder casar com ela!

Festa de Natal

Sábado de manhã foi a festa de Natal.

O mais velho acordou às 2 da manhã com febre. Voltou para a cama passado uma meia-hora e dormiu o resto da noite. De manhã acordou bem disposto, mas não foi à piscina.

À hora combinada, estavamos a marcar presença à entrada (e como me faz confusão os Papás que nunca conseguem chegar a horas... uma hora de atraso é de uma enorme falta de educação!).

A Festa de Natal foi uma atuação de todos os anos (desde o infantário até aos alunos do 9º ano), em que o mais velho esteve em palco 90% do tempo a fazer parte do coro. Representaram a história d'O Principezinho com muitas canções - estão todos de parabéns!

Os dois rapazes portaram-se lindamente e saíram felizes da vida.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Mãe

As saudades que tenho de ti!

Um beijinho daqui até aí!

Às 5:30

Aparece Filho mais velho na nossa cama a queixar-se com muitas dores de cabeça.

Basta encostar a mão na cara dele para perceber que está cheio de febre (como sempre que vai para à nossa cama, coisa raríssima, felizmente).

Ben-u-ron para baixar a temperatura.

Mimo de mãe.

Mensagem à avó para saber se haveria alguém que pudesse ficar com ele. Felizmente entre os Avós e a Tia conseguimos gerir o dia.

Mano a saber que tem que ir para a escola sózinho fica triste, triste.

E eu mais uma vez a sentir-me a pior Mãe do mundo por não poder ficar com ele em casa e dar-lhe todos os miminhos que ele precisa.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Logo

Jantar convívio com os colegas de trabalho.

Os que conheço há que tempos e os que conheço há menos tempo.

A empresa este ano vai apenas organizar um lanche ao qual não vou poder ir. Mas o jantar não vou faltar.

Ando super cansada, só me apetece deitar-me e dormir, dormir, dormir, mas a este jantar não posso faltar.

Dia de exames de rotina

E cheguei cá com uma dor de cabeça de bradar aos céus...

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Filho mais novo já sabe ler

Ou melhor, já sabe identificar muito bem o nome dele...

Só podemos identificar as prendas com o nome dele quando ele for de férias.

O fim está próximo

O fim deste projecto está próximo.

E eu estou naquela fase em que me parece que ainda me falta fazer este mundo e o outro,

E não me lembro do que já fiz.

E perco tempo precioso a procurar e no fim concluo que está feito.

Estou mesmo, mesmo a precisar de férias.

Ai pois é...

O tempo passa muito rápido...

Li há pouco que os Silence4 começaram há quase 20 anos... e eu lembrei-me do tempo da faculdade... e de quando fui vê-los nos últimos dias da Expo98...

E pronto, começo a compreender que os meus cabelos brancos loiros-rebeldes têm mesmo que começar a aparecer...

Do tempo

Passamos de 2º ontem para uns maravilhosos 13º hoje.

Passamos da acalmia para a ventania num ápice.

Dizem que vai começar a chover a partir da tarde de hoje.

Detesto andar na rua com chuva. E o percurso que tenho que fazer diariamente não tem muita protecção. Estou a ponderar em trazer uma muda de roupa para cá.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Do fim de semana

Um almoço maravilhoso com quem mais gosto.

As primeiras compras de Natal e a lista quase toda riscada. Só faltam as mais difíceis.

Uma viagem que não estava à espera de fazer, mas que soube muito bem, com muita conversa deitada fora.

Uma visita a dormir cá em casa de surpresa.

Um domingo em que acordei tão cedo como se fosse trabalhar.

Um torneio de Judo para o mais velho que ficou em terceiro, mesmo terceiro, lugar.

Uma visita do Pai Natal que mesmo à distância pôs o mais novo em êxtase (ah e tal, não acredito no Pai Natal... mas quando o vê é com a inocência de sempre).

Um almoço com direito a queda de neve artificial. Delirámos todos.

Um jantar em que houve acompanhamentos a pedido: arroz branco, arroz de tomate, batata-doce frita.

Um fim de semana que passou rápido de mais, mas que gozamos todos os minutos em pleno.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Avarias a mais

ou a menos...

Ontem chego a casa e tenho um papelinho a dizer que o ferro tinha avariado.

Liguei-o e pareceu-me que estava a aquecer, mas acabei por não ver com muita atenção.

Hoje de manhã o Pai queria fazer as suas torradinhas e comentea: "pronto! froi desta que ficámos sem a torradeira." e embala-a para deitá-la no eletrão.

De tarde, a empregada chega e vê o ferro noutro sítio e a torradeira embrulhada para ser despachada.

Tenta ligar o ferro numa tomada onde não costuma ligar e o ferro funciona.

Desembrulhou a torradeira e liga-a na mesma tomada e funciona.

E nós com cara de totós porque nem pensámos em experimentar noutra tomada.

Mas também às 6:30 da manhã quem é que acorda a pensar?

Urgentemente!

Preciso urgentemente de descansar e de dormir até mais não.

Adivinham-se duas semanas de trabalho muito complicadas (chego a esta altura e parece-me que ainda tenho tudo por fazer).

Depois tenho marcadas duas semanas de férias. Uns dias a dois, outros a 4 e mais.

Aproveitar para descansar o máximo porque o início do ano vai ser muito trabalhoso (mas espero que com um resultado final maravilhoso) e recarregar baterias.

Isto se entretanto o filho do meu colega não nascer...

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Ups...

Quando a Avó fez anos achei que os miúdos iriam giríssimos se fossem todos pipis... ou seja, camisinha e polo sem mangas.

Houve apenas dois fatores para que o traje não corresse tão bem:

1. Não lhes vesti camisola interior e a temperatura desceu imenso, ou seja, apanharam um frio de primeira apanha;
2. Não sei porquê, mas sempre que olhava para os braços do mais velho, via as mãos, os pulsos e metade do antebraço. Ah! o rapaz cresceu imenso durante o verão e as camisas (e restante roupa) não acompanhou o crescimento dele...

Mas que eles estavam um borracho, lá isso estavam!

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

E pronto!

Acabei por desesperar e entrei em contacto com a DECO.

Depois de tantos adiamentos na entrega dos móveis, da mensagem que a "colega" da outra loja me passou, e de ter visto uma reclamação publicada com uma história muito parecida à minha e com a mesma loja, liguei para a DECO para saber o que poderia fazer e como me protejer.

Enviei email a impor uma data limite, caso contrário desisto da encomenda.

Vamos a ver se é desta!

Ele avisar avisou...

Domingo os dois andavam á caça do tesouro - o mais velho escondia as peças no quarto e o mais novo tinha que as encontrar.

Avisámos que eram peças a mais, que alguma iria ficar esquecida, mas como sempre não ouvem a voz da sabedoria.

No fim, contadas as peças e falta uma! Toca de irem procurar melhor.

De repente, o mais novo começa a chorar. Calmamente fomos ver o que se passava.

Demos com o mais velho a abraçá-lo e a a dizer: "mas eu disse-te para tirares a cabeça...".

Eis o que aconteceu:

- o mais velho levantou o colchão para ver se a peça se tinha escondido lá;
- o mais novo vai espreitar;
- o mais velho começa a ficar sem forças e diz: "Mano, sai que vou baixar";
- o mais velho larga automaticamente o colchão e o mais novo bate com a testa no estrado;
- o mais novo ganhou o maior galo que temos memória.

E o raio da peça tinha ficado na sala.

Da tosse

Mantem-se com picos durante o dia...

De manhã acordo sempre com a dita a chatear um pouco. Durante o dia nem dou por ela. Mas à noite... depois do jantar é que são elas...

Esta noite então foi para esquecer... acordei várias vezes com a tosse, tive que me levantar outras tantas para comer uma clher de mel a ver se acalmava e voltava a adormecer. Até me dói a cabeça de tanto tossir.

Já passei pela farmácia e trouxe um xarope a ver se melhoro - 10 ml, 3 vezes ao dia (e o copo não tem a medida dos 10 ml...).

Quero dormir com urgência....

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

E quem espera, desespera....

Como não recebi o telefonema, liguei de novo para saber se ja havia novidades.

Pois que ainda não tinham enviado a lista das encomendas, e que naquela semana iria receber um camião e que na semana seguinte recebiria outro. Que a minha encomenda deveria de vir ou num ou noutro, porque já é das antigas. E que a fábrica nunca se tinha portado assim. E que já não sabia o que dizer aos clientes. E que tinha senhoras quase a ter bebés e sem os quartos montados. E que já tremia de cada vez que o telefone tocava. E que já estava a dizer aos novos clientes que a espera é de cerca de 3 meses. E que... E que...

Sexta feira passada tentei ligar de novo. Nada! O telefone fixo já não tem atendedor de chamadas. O telemóvel continuava a tocar sem ser atendido.

Sábado voltei a tentar. O telefone fixo foi desligado. O telemóvel ainda tocou da parte da manhã.

Da parte da tarde já nem o telemóvel tocava.

Liguei para a outra loja que me disse:

"achamos que a colega está doente porque também não nos tem atendido o telefone."
"não conseguimos saber qual o ponto de situação da sua encomenda porque somos um franchising da marca."
"pois, infelizmente, o dono do franchising é a colega!"

Com esta conversa começo a pensar em tomar medidas mais drásticas...

Dança rítmica

O mais novo pediu (na escola) para ir à aula da dança ritmica.

Chegou a casa todo satisfeito e a dizer que gostou muito.

Agora é esperar para ver se foi numa de ir experimentar ou se quer continuar a repetir a experiência.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

De molho?

Ao fim do dia e de manhã é quando me sinto pior da minha tosse.

Durante o dia tenho o nariz um pouquito "apanhado", mas nada do outro mundo.

Às vezes quero falar e dou por não ter voz.

Um fim de semana que se adivinha trabalhoso com os dois a terem teste de Matemática e de Estudo do Meio para a semana (e Expressão Plástica, mas esse já disse que não conta porque filho de peixe, peixinho é...).

Já tenho o famoso xarope de cenoura a se fazer...

Logo

Vamos começar a decorar a casa para a chegada do Natal (costumamos fazer no dia 1 de dezembro, mas este ano os rapazes têm a semena com muitos testes e optámos por antecipar).

Para facilitar a gestão vamos encomendar pizza para o jantar e enquanto montam a árvore e a decoram, eu faço o bolo da praxe para comemorar o início das festividades e comermos ainda quentinho.

A ver se começa a chegar o espírito...

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Acordar

Agarrada ao mais novo e sentir o seu cheirinho (continuo a adorar cheirar os meus filhos, mesmo quando chegam a casa ao fim do dia todo sujos), trocarmos beijinhos e dizer:

Eu: Uhm!!!!! Gosto tanto dos teus beijinhos!
Ele: Eu também gosto muito dos teus, Mamã!

Hoje

Prova de Língua Portuguesa para os dois!

terça-feira, 26 de novembro de 2013

A famosa rede social


Os pais têm conta, os filhos não têm. Por muito que o mais velho peça, temos sempre dado a mesma resposta: ainda não tem idade para tal e não vamos mentir para que ele tenha a dita conta (alguns coleguinhas dele já têm e ainda não aceitei nenhum convite de amizade). O mais novo ainda não tem noção do que é, o que nos livra de mais um braço de ferro.

À noite, enquanto fazemos tempo da hora de deitar deles, costumamos dar uma vista de olhos pela dita rede, mais para vermos as fotos (algumas tão espectaculares que questiono se são mesmo verdade). Assim que sentem o que estamos a fazer, alapam-se (existe?) a nós e toca de ver as mesmas imagens. Sempre que vêm uma que gostam pedem: "Põe o gosto!".

Hoje de manhã o pequenino veio com o tablet na mão para mostrar uma fotografia dum bolo de chocolate com muitas bolinhas de chocolate a sair de dentro (M&M's). Todo ele sorria perante tal goluseima (nem sei como seria se fosse ao vivo e a cores). Depois de comentarmos a dita fotografia, sai disparado do quarto e diz:

"Papá! Põe um gosto neste bolo!!!"

* que parece que tem estado a perder adeptos para outras redes sociais.

Dos trabalhos de casa

Domingo, estamos quase a sair para ir ao cinema e depois seguir para o jantar em casa dos Avós, vejo que Filho mais velho ainda tinha um trabalho para entregar na Escola Virtual (fez os que tinha que entregar no próximo domingo e "não viu" aquele que só era o primeiro da lista).

Um stress doido porque já estavamos em cima da hora para irmos ao cinema e eu detesto chegar atrasada.

Ainda tentou fazer depois do jantar em casa dos Avós, mas não se lembrou da password e lá regressamos a casa mais cedo.

Segunda feira, meio da manhã, recebo um telefonema da professora do mais novo: "Mãe, o H. não lhe disse que tinha uma ficha de Língua Portuguesa para fazer no fim de semana?".

Depois de tanto termos trabalhado no fim de semana com fichas que lhe comprei e que ele estava a fazer tão compenetrado, como é que se pode esquecer dos trabalhos da escola? Ainda vi os livros dele e os cadernos, mas esqueci-me de ver a capa dos elásticos.

Quando o fui buscar ao fim do dia as coleguinhas dele brindaram-me logo com um "O H. mentiu à Mãe! Disse que não tinha trabalhos para fazer!".

* Juro que não sei que mais fazer a estes dois!

Recomecei as minhas caminhadas

Depois de uns 3 meses parada à conta da queda que dei e também porque a minha companhia das caminhadas estava fora, ontem recomecei as minhas caminhadas. Uma hora sempre a andar.

Decisão - Parte II

Acabei de dar o primeiro passo.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Está um dia muito cinzento... cá dentro já parece noite. Olhamos para a janela e vemos um céu cinzento, cinzento... só apetece ir para casa, deitar-me no sofá e enrolar-me ao cobertor com as minhas crias debaixo da asa.

Prevê-se um fim de semana animado

Com um almoço com duas amigas e respetiva família.

Ida ao cinema (se o mais novo se portar bem hoje).

Ida do mais velho ao futebol.

Muuuuito estudo (para a semana começam os testes).

6:10

Levanto-me com o mais velho a chamar por mim.

"Mamã! Mamã! Não consigo respirar! Tenho o nariz entupido!"

Vem para o meu colo e estamos a sair do quarto, diz o mais novo:

"Mamã! Não consigo respirar! Também tenho o nariz entupido!"

Levo o mais velho até à casa de banho e despejo o frasco do soro fisiológico pelo nariz abaixo. Assoa-se e fica melhor. Mando-o para a nossa cama deitar-se com o Pai.

Volto ao quarto deles e pergunto ao mais novo se também quer limpar o nariz com o soro. Estava mais a dormir que acordado. Diz-me que não e vira-se para o outro lado.

Fui tratar das lancheiras deles e da minha, mais pequeno almoço tomado. Quando vou arrumar a loiça da máquina tive um ataque de soluços daqueles que me ía fazendo vomitar o pequeno almoço.

Boa sexta-feira!

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Decisão

Há uma decisão que tenho que concretizar.

Já foi tomada há muito tempo (talvez em demasia mesmo), mas as consequências que virão depois de dar o passo em frente são o que me têm travado.

Se para algumas coisas sou muito impaciente, para outras a minha paciência parece um poço sem fundo.

Mas tenho que dar o passo que falta.

E vai ser um dos que irei dar no próximo ano.

Depois faço o meu luto e sigo em frente.
Apesar de considerar que a colheita de 76 é a melhor de todas, dois anos depois nasceu um grupo de música que considero ser dos melhores!

Quase 35 anos depois, as músicas que lançavam na altura continuam a ser tão apetecíveis como na altura.

Dia 7 de março vamos cantar-lhes os parabéns!
E na semana seguinte ao anúncio do novo horário, o carro do marido vai para a oficina e eu tenho que ir levar os miúdos ao colégio... ou seja, como o colégio só abre às 8:00 só cá chego perto das 9horas... e a ajudar as greves de manhã e os acidentes ao fim do dia...


Se agora é assim

ne quero pensar quando entrar na pré e na adolescência...

Demora uma eternidade em frente ao espelho até que se decide a lavar os dentes!

Xarope de cenoura

Como filho mais velho anda com uma tosse seca, fiz pela primeira vez o famoso xarope de cenoura (acho que nunca tomei tal coisa, mas em compensação lembro-me do doce de cenoura com nozes que a minha Avó fazia).

Filho mais velho ontem torceu o nariz quando viu, provou mas não manifestou grande gosto pela coisa (mas perguntou se hoje voltava a tomar e quantas vezes ao dia).

Filho mais novo, que anda também com o narizito entupido e tal, provou e aprovou o dito.

Hoje de manhã, assim que o chamei para tomar o dito, estacou logo à saída da cozinha e voltou para trás com um sorrisinho de satisfação na cara.

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Tosse seca

Filhote mais velho anda há dois dias com uma tosse seca que felizmente só incomoda quando está acordado (contam-se pelo dedos duma mão as noites em claro por causa das maleitas - parece que quando dorme tudo lhe passa e quando acorda, as maleita também acordam).

Hoje vou fazer um xarope de cenoura para ver se acalma.

Do jogo de ontem

Com muito nervosismo lá vimos o jogo.

O grande Cristiano Ronaldo marcou os golos que mostraram mais uma vez que ele é O jogador!

Brasil cá vamos nós!!!!

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Esperar - parte II

Ora bem, ontem como tinha decidido, liguei para a loja para saber da minha encomenda.

Quando estava quase a desistir, a senhora atendeu-me e depois de me identificar, disse-me que vai receber um camião com encomendas na próxima quinta-feira, mas que só ontem ao fim do dia é iria receber a lista final com as encomendas, mas que contava que a minha viesse no dito.

Pedi-lhe que me ligasse para confirmar e para combinarmos a entrega.

Pois que já se passaram mais de 24 horas e nada de telefonema...

Com tanto avanço das tecnologias

Na minha empresa não somos autorizados e ter o mail a sincronizar com o telemóvel, ou seja, se houver alguma urgência, é telefonar sempre.

Estou deslocada num cliente que, por questões de segurança, deu-nos portáteis específicos, mas não os podemos levar para fora das instalações e só podemos aceder ao email neles (ou seja, não há cá sites com links para a conta de email).

A juntar a isto tudo, tenho as agendas pessoais (minha, do Pai e dos Filhos). Ou melhor, a agenda dos Filhos, porque as nossas têm tido a tendência de seguirem as vontades deles.

Para conseguir gerir as reuniões duma e doutra empresa, os respetivos eventos, as minhas necessidades e as do Pai, mais as visita de estudo, testes, exames nacionais, festas de aniversário, eventos desportivos e afins dos Filhos, eis que voltei à agenda em papel...

O menino que pensa que já é senhor de si

Durante uma das suas birras enquanto tem que fazer os trabalhos de casa, decidiu que tinha que fazer a letra D de maneira diferente, só porque sim.

Mamã diz que está errado e, depois de o ter avisado que apagava tudo se repetisse a brincadeira, apaga a linha que tinha escrito.

Choro, choro, choro.

Mamã decide que tem que continuar a fazer o jantar (que por pouco não foi parar ao lixo) e arranca para a cozinha e espera que a birra pare.

Aparece sua excelência na cozinha e diz, com uma voz muito segura e sem qualquer hesitação:

- Mamã! Sabes? Eu não tenho a TUA vida! Eu tenho a MINHA vida!

- Pois, filhote, mas até poderes mandar na TUA vida, tens que fazer como o Mamã diz. E para fazeres as letras como queres, tens primeiro que saber fazê-las como deve de ser.

Acalmados os ânimos, retomou os trabalhos de casa e a fazer tudo direitinho.

No fim temos esta conversa:

- Mamã! Já sei fazer o "d" bem?
- Sim fihote.
- Ainda bem que me ensinaste a fazer como deve de ser!

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Do Natal

Cá por casa a excitação do Natal e respetiva decoração é vivida pelo Pai e suasnossas crias.

Normalmente eu dedico-me a fazer um bom lanche para comermos e na companhia das luzes e luzinhas que brilham e piscam pela casa.

O Pai não resiste e todos os anos compra um conjunto de luzes (normalmente há algum que se estraga) e uma ou outra fita.

Este ano, entrando numa loja onde se vende também decorações de Natal (aka AKI), aproveitou e comprou uma fitinha e assim que chegou a casa, pendurou-a numa de ver como ficava (isto há coisa de duas semanas). E a fitinha continua por lá, ainda com a etiqueta do preço mesmo a meio por tirar.

E eu já fui avisando que queria uma coisinha mais simples, a árvore decorada com pouca coisa, poucas cores... mas duvido que consiga convencer Pai e Filhos...

Estou a 40 km de casa

E a minha empregada acabou de me enviar uma mensagem a dizer que estendeu a minha roupa na rua, chegou a casa dela (a cerca de 5 km da minha casa) e está a chover.

Está certo!

Logo lá vou ter que pôr a roupa outra vez na máquina

Do fim de semana

Sábado tivemos uma manhã muito desportiva com a ida à natação e um torneio de judo organizado pelos Mestres. Da parte da tarde o H. teve uma festa de anos e aproveitamos para levar o F. a visitar a Torre de Belém.

Domingo a Avó fez 61 aninhos e fomos passar o dia com ela. Muita comida, muita conversa, muito estudo, algum choro/birra/teimosia (ai que este mais novo tem-me dado cabo da cabeça...).

Sobre a escolha das mochilas

Há uns anos atrás, ainda antes de sermos pais, fomos confrontados com uma situação que nos levou a ter sempre cuidado quando compramos as mochilas para os nossos filhos - o Pai começou com dores muiot fortes na coluna que nos levou a ter que visitar o hospital às três da manhã. Saimos de lá com a indicação de irmos ao ortopedista para avaliar melhor a situação.

Diagnósticos às parte, o P. saiu da consulta com a indicação para comprar uma boa mochila para levar o portátil (a nossa vida profissional faz com que diariamente tenhamos que andar com o portátil "às costas") e deixar completamente as malas a tira-colo/malas de mão. Nunca comprar os troleys (confesso que o barulho que os ditos fazem a bater nas pedras da calçada me faz muita confusão, além de que não sei até que ponto não estragam também os portáteis, por muito almofadados que sejam, tenho a ideia que a trepidação acaba por danificá-los).

Mais tarde, quando o F. foi para o infantário e tivemos que começar a levar os pertences dele diariamente, escolhemos logo mochilas em vez de sacos ou troleys (claro que eramos nós quem levávamos as mochilas, mas ele foi logo desde cedo habituado a ver o objecto).

Chegou a altura de ingressar no 1º ano e a escolha da 1ª mochila a sério (devido aos timings em que os supermercados começam a disponibilizar o material escolar, acabamos por escolher todo o material sem lhes dar hipótese de escolha e até agora não tem havido qualquer reclamação). Nem foi preciso haver conversa entre nós. Teria que ser uma mochila robusta, com duas alças e nem sequer olhamos para a zona onde se encontram os troleys ou as chamadas malas de carteiro/tira-colo.

Se os nossos filhos gostavam de ter outra coisa para carregar com os livros? Se calhar sim, mas o que é certo é que nunca questionaram as nossas escolhas no que ao material escolar se refere. Temos abertura para os deixar escolher e se eles quiserem outro tipo de material aceitamos a escolha (desde que dentro dos padrões que consideramos aceitáveis).

Isto tudo porque li este artigo que muita razão nos dá.

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Balanço do novo horário - parte II *

16:45 - Recebo email de Mais-que-tudo para confirmar que vou buscar os miúdos. Sim! Saio daqui a 10 minutos.

16:50 - Começo a concluir o que tenho em mãos para fechar a loja. Toca o telefone. Ah e tal e se falássemos pessoalmente? É mais fácil! Pois que já apareço aí...

17:20 - Regresso ao meu local e ainda tenho tenho que enviar email (já não deu para organizar nada para hoje... vai ser bonito recoradar-me onde é que tinha ficado... não interessa, envia o email e voa daqui).

17:30 - Fecho a porta a resmungar que tenho que aprender a não atender o telefone quando estou quase a sair... normalmente sou apanhada e tenho o raio da mania de não dizer não!

17:45 - (demoro uns bons 10 minutos até chegar ao carro) chego à rotunda e tudo parado. Acidente (sem gravidade felizmente) entre uma carrinha e uma bicicleta e ninguém anda na rotunda. Boa! Se já estava atrasada, mais fiquei. Respira fundo! Aceleras na autoestrada (a queimar o limite de velocidade, mas estragas a média que conseguiste poupar de manhã).

18:20 - Chego finalmente ao colégio, 20 minutos atrasada, mas sem a confusão de ontem para estacionar.

Hoje já informei quem de direito que estou a fazer novo horário.

* Bem me parecia que iria haver mais que uma parte...

Visita de Estudo

Filho mais velho hoje tem visita de estudo o dia todo.

Ontem pediu para levar a máquina fotográfica.

Entre ontem e hoje disse-lhe mil e uma recomendações: sempre com a bolsinha onde está a máquina a tira-colo, tens aqui os contactos dos papás, levas umas bolachinhas, levas dinheiro se quiseres comprar alguma coisa ou se tiveres mais fome.

Espero que corra tudo bem, que ele goste (pelo menos a espectativa é enorme), que goze ao máximo, que chegue rápido a hora de o ir buscar para ouvir todas as histórias que tem para contar.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Compras

Preciso de comprar calças (pelo menos dois pares) e camisolas para mim.

Agora não tenho nada aqui perto para poder ir ver durante a hora do almoço.

Ao fim de semana não tenho tido tempo e cada vez menos me apetece ir para os centros comerciais.

Depois entro nas lojas e quando vejo muita coisa, ao fim de 10 minutos estou farta e a querer ir embora.

Mas preciso mesmo de comprar calças e camisolas (se não encontrar também não é o fim do mundo). E só estou a ver ao fim do dia. Depois do jantar. E se o meu fim do dia de hoje for como o de ontem, nem sei...

Acho que vou passar pela farmácia e comprar uma dose extra de paciência...

Balanço do novo horário - parte I *

Cheguei ao colégio ao mesmo tempo que a maior parte dos pais-avós-empregadas-carrinhas-etc-e-tal e foi caótico estacionar o carro. A ver se consigo chegar mais cedo para estacionar o carro sem stress.

Ainda tive que esperar que a sala de estudo terminasse, mas consegui falar com a auxiliar que acompanhou o mais novo na pré.

Hoje de manhã, despachei-me mais depressa a arrumar as coisas na cozinha (já tinha reparado que quando estamos dois demoro muito mais tempo - estamos sempre a ocupar o espaço que o outro precisa de aceder).

Consegui deixar os iogurtes a fazer e arrumar as meias e cuecas nas gavetas (ou melhor, separei-as e arrumei metade, a outra metade quando fui a ver o Pai já as tinha na mão) que o mais novo estava desde o início da semana a com a dele vazia.

* Não sei se haverá mais partes, mas pelo sim, pelo não...

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Esperar


Estou desde o dia 17 de setembro à espera duma encomenda que fiz para o quarto dos rapazes (precisamos de mais arrumação).

Na altura foi um filme para conseguir concretizar a encomenda - a loja não é perto de onde fazemos os nossos dia-a-dias e quando nos deslocamos à dita, a senhora encontrava-se doente.

Tentamos via email e estava tudo no bom caminho até que deixei de ter resposta e por muito que telefonasse e deixasse mensagem, não tinha qualquer retorno.

Farta de tentar, recorri ao FB para na página da dita loja apresentar o meu pedido para ser contactada (claro que tive que dizer que já estava há vários dias a contactar sem qualquer resposta). Certo é que passado uma hora já tinha a resposta e consegui finalizar a encomenda.

Sinal pago e a promessa de em cerca de 5 semanas ter os móveis.

Aguardei mais 3 dias e liguei para saber como estava a encomenda (dia 25 de outubro). Pois que o Sr. Fornecedor só envia a encomenda se tiver o contentor cheio e isso só vai acontecer no dia 17 de novembro. Respirei fundo e, demonstrando que estava já a ficar muito descontente, aceitei aguardar mais umas 3 semanas.

Na próxima segunda feira vou ligar logo de manhã para tentar saber se os móveis já chegaram.

Estes dias de espera têm sido um suplício! Quero arrumar de vez o quarto deles e só o vejo cada vez mais confuso...

Um novo horário

A partir de hoje vou começar a entrar às 8 e a sair às 17.

Está a ser complicado apoiar ao fim do dia o filhote mais novo, que está a precisar de uma ajuda extra para ganhar confiança nele próprio.

Assim consigo ir buscá-los às 18, tomam banho, ajudó-os nos trabalhos de casa e/ou estudar e a ver se passam a ter mais tempo para brincar antes de dormirem.

terça-feira, 12 de novembro de 2013

O "meu" Centro de Saúde

Acabaram de me ligar do Centro de Saúde, com o pretexto de necessitarem dos dados de um dos meus filhos atualizados.

Digo pretexto, porque acabei por ter que responder às perguntas da praxe (e que já tinha respondido quando levei o mais novo às vacinas dos 6 anos):

- Peso?
- Altura?
- Citologia?
- Quando?
- Resultado?

E estas últimas três perguntas são as que fazem sempre, mas sempre, seja qual for o contexto em que me encontre dentro daquele Centro de Saúde.

Ah! Esqueceram-se de perguntar pela Mamografia, ou será que ainda não tenho idade para a fazer?

A-DO-RO!

Batata doce!

E recordo quando a minha Mãe punha sempre uma em água para vê-la a lançar os seus longos braços verdes e que decoravam o alto dos armários da cozinha.

E em casa da minha Avó havia sempre batata doce assada para irmos comendo/petiscando.

E quando eram fritas para acompanhar um bom bife.

Ou cozidas quando se fazia um bom cozido à portuguesa.

Infelizmente cá em casa o resto da malta não é muito apreciadora e perdi o hábito de comprar. Mas que estou com uma vontade de as comer... ai isso estou!

As palavras que o mais novo inventa....

Ontem estava a contar-me que o R. P. teve bola vermelha porque esteve o dia todo a fazer "palhacites"!

No outro dia a professora estava a ensinar as parcelas. Quando chegou a vez dele de dizer o respetivo nome só se lembrou de prateleiras...

Do fim de tarde de ontem

Saí do trabalho e voei até ao dentista.

O dente safa-se. Apenas partiu ao nível da gengiva e pode ser reconstruído. Levei com a anestesia para não sentir dor (que eu sou medricas até mais não) e arrancou o bocado que estava solto. Agora é esperar que a gengiva cicatrize e para a semana fazemos a reconstrução.

Depois passei pelo assador de castanhas, mas a fila era grandita e ainda tinhamos que esperar um bocado. Desisiti e fui comprar castanhas para assar em casa.

Cheguei a casa já perto das 8. Os miúdos já tinham tomado banho e o mais velho a terminar os trabalhos de casa.

Agarrei no mais novo e ficamos na cozinha a cortar as castanhas enquanto o jantar se fazia com a preciosa ajuda dele.

Jantamos o que sobrou do almoço de domingo. Para sobremesa deliciámo-nos com as castanhas e com um copo de vinho do porto (claro que apenas os Papás).

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Do fim de semana

Sábado de manhã os putos foram à piscina.

Depois o mais velho foi com o Pai às compras e eu levei o mais novo ao otorrino (consulta com 35 minutos de atraso).

O mais velho teve uma festa de anos à hora do almoço.

Regressados a casa, eu rendi-me à enorme dor de cabeça que estava a sentir e dormi umas horinhas enquanto o Pai brincava com os pequenos.

Domingo foi dia de acordar cedo e preparar um bom almoço para a família (Primos e Tios). Fiz mal as contas e fiquei com comida para o resto da semana.

O jantar foi em casa dos Avós e dos Tios para provar o azeite que resultou da apanha do fim de semana passado.

Hoje

É dia de Magusto.

Mas também é dia de ir ao dentista... a ver se ainda consigo ir comprar umas castanhinhas e fazer assadas para o jantar...

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Em modo...

...quase quase a chegar o fim de semana.

...quase quase a chegar a hora de ir sair a voar para ir buscar filhotes lindos.

Vamos jantar fora para desanuviar um pouco da semana super cansativa com o mais novo a dizer que não tem que estudar (e nada o indica no caderno que o tem que fazer... penso que ainda é muito imaturo...) e depois tem avaliações e os resultados não estão a ser muito animadores...

Não sei que fazer... não sei se o rapaz ainda não percebeu que tem que estudar, se é pura preguiça, se está a gozar connosco... vou aguardar mais uma semana a ver como corre...

Entretanto o mais velho de manhã acusa a falta de atenção que teve na véspera ao me abraçar em frente aos amigos (já tem 9 anos...) e só pede para vir para o trabalho comigo.

Pior que uma adolescente

Tenho a casa cheia de borbulhas... umas pequeninas e outras que se adivinham que vão ser muito grandes...

São 16:15 de sexta-feira

e nesta empresa parece que já é fim de semana...

Com algumas excepções (das quais faço parte) parece que estou numa fábrica fantasma...

Cheira-me

que na segunda-feira saio do dentista com uma receita para aviar e nova consulta marcada...

Só espero que durante o fim de semana não se lembre de doer... tenho gente da boa para almoçar no domingo.

Elogio

Gosto muito de ti Mamã! És a Mãe mais bonita que há!

* Dito pelo mais velho durante um abracinho muito apertadinho!

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Animais

Os meus filhos volta não volta dizem que querem ter um animal de estimação.

Já explicamos que não pode ser porque não temos muito tempo, porque o Pai é alérgico ao pelo, porque passamos alguns fins de semana fora e não temos quem tome conta deles (e para mim o pior é que, comparativamente connosco, tem uma vida curta e depois de me apegar custa muito vê-los partir).

Hoje no carro voltaram à carga do animal de estimação. O mais velho a queixar-se que todos os amigos têm animais de estimação e ele nada. De repente fez-se luz e disse: "Mamã, a Manchinhas* é o meu animal de estimação!"

*Gata vadia que apareceu em casa dos Avós e que acabou por ser adotada, que a muito custo tem deixado dar umas festinhas, que só aparece quando está com fome e que só a vemos de mês a mês...

Tempo

Profissionalmente sinto-me muito bem realizada.

Adoro o que faço. Adoro desenvolver a solução à medida do cliente. Em 15 anos não tive duas situações iguais. Adoro ver a satisfação do cliente quando lhe mostramos o resultado final (e felizmente contam-se pelos dedos duma mão os insatisfeitos - melhor seria não haver nenhum, mas ninguém é perfeito).

Não me vejo a fazer outra coisa na vida (e rezo que tenha capacidade para o fazer sempre).

Mas tenho dias em que gostava de poder fazer uma pausa. De poder ter tempo para me dedicar mais aos meus filhos, de ter tempo para fazer outras coisas que também me realizam mas que infelizmente não nos sustentam financeiramente. E tenho chegado a casa cansada e as tarefas de Mãe e Mulher ainda me deixam mais cansada, sem forças para me dedicar ao que também gosto de fazer.

E são tantas as coisas que gosto de fazer... assistir a um bom filme ou série (sem adormecer ao fim de 10 minutos), as minhas costuras, as minhas bijuterias, os meus quadros de ponto cruz, as minhas rendas...


quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Os opostos

Se quando o sol começa a dar o ar de sua graça, os meus filhos começam a querer andar mais leves (entenda-se com o mínimo de roupa possível), assim que o sol começa a ficar escondido pela nuvens cinzentas do outono, os meus filhos decidem que é hora de passar a andar mais compostos (entenda-se apenas para dormir, porque ir para a escola de casaco é muito, muito chato).

Ao olhar para a minha agenda

Só desejo que chegue  o fim de semana em que não tenha nenhum compromisso.

Preciso de ter um dia para passá-lo a roçar-me pelo sofá a dormitar e a tentar ver uma catrefada de filmes, sem compromissos e sem responsabilidades.

Tem sido difícil, muito difícil

Conseguir convencer o mais novo das suas responsabilidades e que agora a escola é muito a sério.

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Não sei se ele já está preparado*

Acabei de receber email do colégio, a convocar para uma reunião onde vai ser apresentado o projecto para os finalistas do 1º ciclo irem 15 dias para as terras de Sua Majestade, com o objetivo de desenvolverem os conhecimentos que já possuem da língua.

Quinze dias sem Pai nem Mãe (mas devidamente acompanhados, claro).

*Eu não estou com toda a certeza...

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Do fim de semana - parte II

Além das dores musculares e do cansaço (que não me deixava adormecer ontem e hoje para trabalhar é que estão a ser elas) enquanto estava a comer o meu ãozinho ao lanche ganhei um dentinho partido.

Consulta marcada para daqui a uma semana.

Do fim de semana

Depois da aventura da chave, seguimos viagem até casa dos Avós.

Chegamos perto da hora do almoço e, enquanto se limpava mais uma e outra oliveira, fui terminar o almoço.

Almoçamos e a malta foi continuar a faina de ripar (uns em cima das ditas, os outros a partir do chão), limpar as folhas, ensacar as azeitonas, puxar mantas e mantinhas, fazer recados e muita conversa pelo meio.

No fim do dia uns foram para dentro de casa fazer o jantar e outros continuaram a limpeza da azeitona (retirar as folhas e folhinhas que não podemdevem ir para o lagar).

Domingo acordamos cedo para terminar a apanha (faltavam umas 6 ou 7 oliveiras, mas como agora noitece bem mais cedo, não conseguimos terminar no sábado e no domingo bastaram duas horas para terminar o seviço).


O resto do dia fio passado entre estudos, brincadeiras, trabalhos escolares e muito sobe e desce de escada (hoje estou que não me aguento nas pernas).


Aventuras logo pela manhã

Depois de algumas semanas em que tive uma odisseia no local de trabalho à conta da chave do gabinete que estou a ocupar (foi empresatado) no sábado foi com a chave de casa.

O P. foi para casa dos Pais na sexta ao fim do dia com o objectivo de os ir ajudar na apanha da azeitona logo de manhã. Nós ficámos por cá (os miúdos têm piscina logo de manhã) e seguiamos no sábado assim que a piscina acabasse.

De manhã carrego o carro e, já com os miúdos no carro, lembrei-me que me faltava uma coisa.

Voltamos para cima enfio a chave na fechadura e nada de conseguir dar a voltar. Tiro a chave e reparei que estava mais curta (é das que "encolhe e estica"). Volto a esticá-la e reparo que esta não fica presa. Olho melhor e confirmo que a bolinha que prende (e que nunca foi grande "prendedora") tinha desaparecido. Lá tento umas duas ou três vezes com mais jeitinho e assim que a chave entra, começa logo a encolher (e eu a fritar completamente....).

Como já era tarde, fui levar os miúdos à piscina e voltei a casa, mais calma, a tentar arranjar uma solução (tinha mesmo que levar o que me faltava). Encontrei um pauzinho que mantinha a chave na posição certa e lá consegui ir buscar o que faltava.

Ora bem

Depois deste pequeno blog ter recebido muitas visitas com origens de Leste, eis que agora a visitas dispararam mas vindas do Oeste!

Quem nos visita, se vier por bem, é sempre muito bem vindo! Agora sites de spam que vêm cá vezes quase sem conta só para que, movidos pela curiosidadeeducação, devolvamos a dita visita e ficarmos com o computadorzinho com virus, meus senhores, isso eu dispenso, muito obrigada!

Quando a esmola é demasiada, o pobre desconfia e por isso não fui visitar o dito site.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Logo

Fico sózinha com os dois.

O Pai vai direto para a casa dos Avós e amanhã pega cedo na apanha da azeitona.

Nós só vamos amanhã e chegamos ao final da manhã (há a piscina para eles) e ver se ainda conseguimos apanhar alguma coisa.

Já se desfez

E que alívio!

Por vezes acontece

Estou com um enorme nó no meu raciocínio e está difícil de conseguir desatá-lo...

Vamos lá começar de novo...

No início da semana

Filho mais velho pergunta (num tom zangado):

"Mas de quem foi a ideia de acabar com alguns feriados?"

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

O dia correu bem

Agora vou voar para casa (ou tentar no fim de mais um dia de greve) e saber como correu a atuação dos filhotes (tentei convencer o Pai a ir vê-los, não sei se conseguiu).

E namorar muito!!!!

E sobre o post anterior

Mas posso contiuar a trazer roupa leve porque aqui está sempre quente...

Se calhar já está na hora

De começar a pensar em ir buscar os casacos mais grossos (ainda visto o casaquinho de verão).

De pensar em ignorar marido-querido-encalorado e pôr O cobertor na cama.

De trocar as t-shirts que visto em casa por umas mangas compridas (que ontem tive frio como tudo).

De dizer adeus ao verão e dizer olá ao outono.

Mas ainda temos o S. Martinho que costuma ser quentinho...

16 Aninhos

Faz hoje 16 aninhos que começámos a namorar.

E não vou repetir o que já disse há cerca de duas semanas.

Logo vamos jantar os quatro (porque os nosso pequeninos fazem parte da nossa história que começou no dia 31 de outubro, pelas 18:00, à entrada da universidade) e recordar como tudo começou.

Amo-te Muito!

Expliquem-me

Porque é que quando chego a casa ao fim do dia, cansada e desejosa de largar o carro o mais perto de casa possível (porque no dia seguinte é sempre um corre-corre e se está mais longe, são mais uns minutinhos até ter todos sentados e com os cintos postos) existem vários lugares livres, mas que se encontram bloqueados por outros carros de pessoas que vão só deixar qualquer coisa em casa de alguém, ou porque vão buscar os filhos a casa dos Avós/Tios/Primos, ou porque passam pelo café para trocar dois dedos de conversa?

Levei

Dois esqueletos ao colégio que me fizeram ir ver as obras de arte que realizaram para decorar o colégio (aranhas, fantasmas, bruxas, teias, abóboras...).

Pena não conseguir estar com eles neste dia e assistir à festa.

Pelo que hoje o mais velho me disse andaram a ensaiar uma coreografia ao som do Thriller de Michel Jackson.

Dia lindo de sol

Quase que deu para esquecer o caos que se gerou à conta da greve.

Tenho que começar a pensar em trazer um casaquinho mais quente...

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Acordei a pensar

Que hoje fazem 16 aninhos que ele me deu a primeira rosa!

Tenho que lembrar os meus filhos

Sobre o tema atual do número de animais domésticos que uma pessoa pode ter dentro de sua casinha, muito se podia dizer... na minha opinião a lei que deveria de ser executada é a do bom senso, mas infelizmente o bom senso não existe em quantidades aceitáveis (nem de perto nem de longe...).

Como lá em casa não há animais (por diversos motivos - alergias, disponibilidade de tempo - e financeira -, condições, etc.) os pequenos pediram aos Avós que lhes comprassem o jogo para a nintendo para poderem ter uns animais virtuais (confesso que não sou muito a favor do conceito, mas já que têm o dito jogo aproveito e incuto neles mais alguns valores).

Agora, com a proposta de só se poder ter até quatro animais de estimação dentro do apartamento, tenho que lhes lembrar que não podem andar a comprar os ditos a torto e a direito, sob pena de termos que responder perantes as entidades competentes.

E quando te antecipas

enquanto levas as últimas fatias de bolo de chocolate aos filhotes e começas a lamber os lábios porque vais rapar o creme que ficou no prato?

Quando chegas à cozinha e vês o lugar onde estava o prato vazio e ouves a água a correr da torneira a desfazer os restos do chocolate...

O que te apetece fazer?

terça-feira, 29 de outubro de 2013

A pergunta!

Tenho quase tantas visitas a este blog da Rússia como de Portugal.

Quem sois?

Dia complicado

Não estou a conseguir concentrar-me nas minha atividades. E parece que o dia nunca mais acaba...

Depois duma semana

em que o mais novo andou aos caídos, à conta do Aerius, e que tivemos que parar devido ao péssimo aproveitamento na escola, anda desde domingo a acordar pelas 6:30 da manhã, fresquinho que nem uma alface.

Como o Pai normalmente já está acordado, vai sentar-se na casa de banho à conversa com ele.

E como ainda está tudo silencioso, parece que ele fala altíssimo e acorda todos os que querem dormir pelo menos mais meia-horinha.

Hoje tive logo o recado: "Mamã, tens que fazer o Mano falar mais baixo senão és despedida*!"

*Despedida da tarefa de ir acordá-lo com festinhas...

A magia

Para o meu filho mais novo existe a Magia, a Fadinha dos Dentes e o Pai Natal.

Para o meu filho mais velho, nada disso existe, mas é bom quando lhe cai um dente a moedinha aparecer no lugar do dentinho, que o Pai Natal não se esqueça dele e lhe leve o brinquedo que tanto desejou.

Ontem numa das n discussões entre os dois, o pequenino a teimar que a Magia existe e o maus velho a dizer que não, que não existe. E não existe a Magia como a Fada dos Dentes é a Mamã que lhe deixa sempre a moedinha. Não chegou ao Pai Natal porque a Mãe chegou a tempo e pôs fim à conversa.

E até quando é que o pequenino vai continuar a acreditar na magia? Não sei, mas se esta torna a vida bem mais simples, vou deixá-lo acreditar até ele entender que está na hora que acreditar e aceitar a realidade.


segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Do dia de ontem

Acordar como se já fossem 8 da manhã e serem apenas 7 horas.

Irmos comprar as máscaras para o  Halloween (pela primeira vez) e encontrarmos os Primos (convite para almoço feito).

Regressar a casa e jogar, brincar, estudar, almoçar, receber um convite do Tio N. para os dois (mas só o mais novo pode ir).

Depois do almoço (e com tudo arrumado), deixar o mais velho em casa do amigo (e mais novo não ficou por estar de castigo).

Ir às compras (duas cadeiras para o quarto deles).

Gerir uma carinha super triste (não chorou porque sabe perfeitamente o motivo do castigo) e uma vontade enorme de contar a surpresa que lhe estava reservada.

Ir deixar o mais novo à porta do Benfica, com o cachecol ao pescoço, com um sorriso de orelha a orelha.

Passar por casa arrumar as compras e montar a primeira cadeira.

Ir buscar o mais velho a casa do amigo e ir para casa dos Avós jantar. Perguntou 4 (pelas contas dele) vezes pelo Irmão e nós só lhe dizermos que o tinhamos deixado nas compras (claro que não acreditou).

Desta vez a carinha de choro foi a do mais velho que também queria ir ver o jogo ao estádio e não pode.

Regressar a casa com o mais novo a comentar o jogo:
  • O Cardozo marcou um golo
  • O Lima esteve no banco a descansar.
E o ar de babados do Tio e do Avô por mais um benfiquista que se fartou de comemorar os golos?

Como ele já sabe dar a volta*

Depois de uma semana bastante complicada para o mais novo, sexta-feira voltámos a ter a nossa pestinha a 100% e, para comemorar, combinei com ele (e com o mais velho) fazermos um bolo de chocolate (que passei o fim de semana todo a dizer que era de bolacha).

No sábado de manhã lembraram-se logo da promessa e não sossegaram enquanto não fomos comprar os ingredientes em falta e metêmos mãos na massa.

O mais velho, que só pensa em Wii, Nintendo e afins nem se aproximou na cozinha, tendo apenas a preciosa ajuda do mais pequenino (e por aqui temos já a noção de quem é mais guloso).

Estavamos já a meio, quando digo ao H. para ir perguntar ao Mano se não nos vem ajudar.

Voltou todo contente pela missão cumprida e com o seguinte recado:

"O Mano diz que o bolo feito por mim sabe muito melhor!"

* ou pelo menos tenta....

Uma ida às compras

Sábado fui comprar meias para mim (tenho uns ténis que são muito confortáveis, mas que me rebentam com as meias todas) e tive que levá-los.

Começou por a senhora me querer vender meias (soquetes) para adulto e eu insistir em ir à secção das crianças (têm o meu tamanho, são confortávei e bem mais baratas).

Depois de ter escolhido dirijo-me à caixa para pagar e ter que delicadamente recusar a oferta de meias para os miúdos e respetivo pai (que estão bem fornecidos).

Enquanto a senhora continua a divulgar a oferta da loja, chega o mais novo:

- Mamã! Tenho dois dentes a abanar (e abre a boca).

Despacho-o e chega o mais velho:

- Mamã, tenho aqui uma mancha branca na gengiva (e também me abre a boca).

Lá me consigo despachar a fazer o pagamento e saimos da loja, com eles a insistir que eu veja a aflição de cada um e de boca aberta.

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

A coisa está a correr bem

Tão bem que só me apetece dançar ao som dos Coldplay que tenho a tocar no meu leitor.

Depois lembrei-me que estar numa sala cheia de gajos não iria resultar muito bem.

E está a correr tão bem que tenho pena de serem quase seis horas e já ter lido o recado "quando chegares a casa vou correr".

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Acho que hoje não almoço

Está a chover imenso (e gosto de ouvir a chuva a cair lá fora).

Mas só de pensar que tenho uma longa caminhada até ao refeitório e que metade do percurso não tem qualquer protecção (prédios, telheiros, etc.), já me está a fazer perfer o apetite...

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Ups...

...acabaram de ligar a luz.

Lá vou ter que ficar pelo menos mais uma hora.

Juro que tenho imenso que fazer e se não fosse o meu segundo trabalho (aquele que não é remunerado, mas que tanto me põe em desespero, como me sinto totalmente completa - o de Mãe e Mulher) hoje ficava cá até "cair para o lado". Mas com o que se passou ontem com o mais novo, hoje estou desejosa que chegue a hora para me pirar para ao pé dele.

São quase 17 horas

E ficámos sem luz.

Querem mandar-nos embora?

Em compensação

O mais velho fez um jogo a matemática com 30 contas de multiplicar e acertou em todas (tinha que acabá-las em menos de 5 minutos).

Lá lhe consegui fazer perceber porque é que teve que fazer a tabuada dusrante as férias.

O meu doce filho

O meu doce filho mais novo (o mais velho também é e agora anda cada vez mais meloso...) sempre demonstrou ter uma personalidade muito forte. Desde pequenino, pequenino que mostrou que quem quer mandar é ele.

Lembro-me que tinha cerca de 18 meses e a Avó ao mudar-lhe a fralda, tentou que ele dissesse "macaco" bonequinho que ele tinha na mão.

Insistiu com ele na brincadeira, depois mais a sério e o rapaz sempre com um ar sério (sei que é o ar entendo-perfeitamente-o-que-queres-mas-não-me-apetece-nada-fazer-e-vou-levar-a-minha-até-ao-fim*).

Não querendo entrar em guerra com o rapaz, colocou-o no chão, dizendo que estava muito triste.

Rapazinho de rabo-de-fralda começa a andar e, antes de sair do quarto, diz por cima do ombro "macaco" para que a Avó ouvisse e todos soubessem que ele sabe muito bem o que fez.

Esta foi a primeira vez que tomámos consciencia do motivo pelo que começaram a aparecer os belos cabelos brancos loiros-rebeldes (sou morena).

Tem sido difícil em casa fazê-lo trabalhar quando não está virado para o assunto (que é a maior parte das vezes). Tem dias que passa uma hora a chorar (convulsivamente), depois dá-lhe o click e faz tudo o que lhe pedimos sempre com uma grande festa.

Ontem foi dia de teste na escola e a coisa correu muuuuito mal. De repente esqueceu-se de tudo e largou num berreiro  (tal como faz em casa). Depois de muito chorar e ir lavar a cara, acabou por sossegar e acabou por fazer a prova.

Está de castigo. Nao há desenhos animados nem vai brincar para casa do amigo, como já estava combinado. O cinema que o Pai lhe tinha prometido vai ficar para outra altura.

O meu doce filho que muitos beijinhos dá e que se aninha no nosso colo como quando era pequenino, também se torna numa grande peste.
*Agora já não ganha.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Sobre o assunto anterior

Acabei de ir ao WC e já só tem um rolinho... já avisei o meu colega que é melhor trazer de casa...

Trabalhar numa sala em que sou o único ser feminino

Trabalho numa fábrica que tem de reduzir o volume de produção.De forma a não criar mais desemprego, tem dias de não produção e manda todos para casa (perdem algumas regalias, mas matêm o emprego, o que atendendo à crise global que atravessamos é muito bom).

A excepção é para os fornecedores (onde me incluo), assegurando os serviços mínimos como, por exemplo, o refeitório e o departamento médico.

Estamos a terça-feira e já se nota que os caixotes do lixo estão a acumular o dito desde sexta-feira.

A meio da manhã houve um elemento precisou de ir ao WC e não tinha papel higiénico. Ligou a quem devia para reportar a situação. Responderam-lhe que teria que ir procurar. Não há no edifício todo. Pois que esta semana tem que aguentar. Não há pessoal para repor o dito (nem sabem onde é que o dito é guardado).

Já houve quem ao almoço enchesse os bolsos com guardanapos não vá dar uma vontade daquelas de repente!

A discussão que se seguiu foi feia e de certeza que não se lembrarm que aqui estou (e não, não fiquei incomodada com a conversa).


Pirosadas

Sempre gostei de ter as mãos arranjadas, mas não tenho paciência (e muitas vezes tempo) para ir todas as semanas arranjá-las. Por isso fui comprando aos poucosos apetrechos que as manicures utilizam (apenas o básico) e fui treinando

Há pouco tempo deram-me vários vernizes, de várias cores: rosas, castanhos, laranja, verde, amarelo e a minha cor preferida de sempre: azul-esverdeado.


Não descansei enquanto não o pus (e como já disse, falta-me a paciência para perder tempo...). Depois do jantar lá me sentei e pacientemente arranjei as mãozinhas e pintei as unhitas.

Enquanto pintava, reparei que dizia no rótulo "flurescente" e pensei que era engano.

Fiquei pelo sofá aguardando que secassem e adormeci (como é hábito, tenho que fazer o primeiro sono da noite no dito).

Fui para a cama às escuras já tarde e eis que apanho um dos maiores sustos! Vejo umas coisas luminosas à minha frente! Pois sim, o verniz é mesmo flurescente :D.

E a loucura dos miúdos quando viram no dia seguinte?

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Mãe Pata me confesso

Já por várias vezes, quando temos que passar por locais mais estreitos e estando eu sempre a andar a
1000, acontece este episódio:

Eu: Vá meninos, venham atrás de mim.
Eles: Quá, quá, quá...



quinta-feira, 17 de outubro de 2013

A loucura de final de noite

Estivemos os quatro a ouvir partes de concertos como se estivéssemos nos estádios.

Filhote mais novo no fim estava a passar-se um bocado porque queria ir dormir, mas pediu para ir ver um ao vivo e a cores.

Filhote mais velho que já sabe o que é bom, voltou a pedir para irmos ver os Xutos&Pontapés cheio de vontade de não adormecer novamente durante o concerto.

E os Pais a delirarem com a ideia de curtirem também um concerto...

Olá quinta-feira

Acordar com uma terrível dor de cabeça.

Ter que ligar o portátil para registo de horas.

Estar a tirar o café e aperceber-me que lavei as camisolas do fato de treino do mais velho e estão molhadas. Tentar secá-las na máquina e não conseguir.

Beber o café frio.

Estar já no carro e ter que voltar a casa para ir buscar a raquete de ténis.

Controlar-me para não levantar a voz enquanto o mais velho continua com a resposta na ponta da língua.

Os miúdos fazerem tudo ao contrário do que lhes peço.

Demorar uma eternidade a chegar ao trabalho por causa dum acidente.

A dor de cabeça não passa com dois cafés tomados.

Ainda são apenas 10 da manhã e já me sinto com o cansaço do fim do dia.

Felizmente amanhã já é sexta-feira!

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Do fim do dia de ontem

Fui buscar o mais novo para irmos à consulta no otorrino.

Enquanto esperava que ele arrumasse, o mais velho apareceu e deu-me um beijinho e um abracinho apertadinho (ultimamento tem dado com frequência e eu tenho aproveitado todos!).

Esperar com muita paciência (exame marcado para as 18:20 e consulta para as 18:40, cheguei às 18:10, saí de lá às 20:10). Sair de lá com o coração apertadinho novamente (raio do nariz do rapaz que continua a fazer das suas).

Entretanto o Pai foi buscar o mais velho e ouve logo o desabafo: "O que é que vou fazer sem o Mano?" no tom mais infeliz do mundo.

Chegamos a casa pelas 20:30 e vamos jantar (Pai querido tinha tudo pronto e o mais velho já tinha jantado).

Sentamos todos à mesa, o mais velho a fazer desenhos e o resto a jantar (finalmente...).

Enquanto conversamos, os manos olham-se e dão um abracinho bem apertadinho como se não se vissem há três quinze dias... (e o meu coração lá se encheu mais um pouco).

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Tenho que rapidamente me animar!

Que o ambiente hoja ainda azeda e não me apetece estragar a última semana da-colega-que-está-de-saída (não que tenha assim tanto apreço, mas já que aguentei até hoje...).

Mas depois lembro-me que filho mais velho hoje tem ditado de inglês e que só se lembrou ontem depois do jantar. Deu 13 erros (ou melhor, foram 13 palavras diferente). Foi o drama porque diz que a professora lhes tinha dito que teriam que escrever as palavras que errassem 200 (sim, duzentas!) vezes. Foi com a folha com as palavras bem escritas para ir estudando durante o dia (será que se lembra?).

Para convencer o mais novo a estudar tem sido um belo dum jogo de cintura... ontem acabou por resultar os beijinhos e os ataques de cócegas e umas quantas cantilenas inventadas à pressão...

Tenho as mãos numa lástima... o verniz a saltar todo... para ajudar, as unhas andam a escamar... esqueci-me de trazer o verniz para um retoque...

Durmi umas três horas esta noite (pus-me a fazer umas ideias que tenho para prendas de Natal depois do jantar e com o entusiasmo acabei perto das 2 da manhã e sono nem vê-lo...). Nunca tiro fotos ao que faço... envio logo para quem me pediu... e como as fotos ficam com pouca qualidade tiradas à noite... A ver se não me esqueço para a próxima vez...

Hoje ainda tenho consulta de Otorrino com o mais novo.

Que bom!

Poder chegar às 10:10 e ir tomar um cafézinho de 40 minutos...

Juro que na sexta-feira vou fazer uma festa!

Ai senhores!!!

Já não tenho paciência para quem prefere ter dois pássaros a voar do que um na mão!

Não tarda nada em vez de terem pouco, vão acabar por ficar com nada!

Realmente burro velho não aprende!

Está bonito! Em três frases, 2 provérbios!

domingo, 13 de outubro de 2013

Comemoração

Hoje comemoramos as Bodas de Seda ou de Ônix - 12 anos de casamento!

Foram 12 anos em que travámos muitas batalhas.

Fortificamos os nossos laços.

Aumentámos a nossa família com dois Filhos maravilhosos.

Vimos partir muitos dos nossos entes queridos.

Recebemos de braços abertos quem quis fazer parte da nossa família.

Com planos mais bem concretizados que outros.

Que venham mais 12 anos!

Amo-te muito P.!

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Já estou em modo fim de semana...

Pelo menos a pensar nisso, que para sair daqui ainda demoro um bocadinho...

Como começar bem o dia

Ir deixar os pequenos no colégio e durante a viagem cantarmos as músicas que passam na rádio!

Adoro a tentativa deles de cantarem em inglês!

A começar a ter ideias

e a passar para o papel, neste caso é mais tecido.

O Natal está quase, quase a chegar!

A ver se consigo que a ideia passe.

Finalmente

Hoje é sexta-feira!

Amanhã vai ser dia de piscina e estudo de manhã. Festa à tarde e depois fugimos os quatro para uma quinta aqui perto. Vai ser surpresa para eles.

Domingo espero poder preguiçar à vontade ('tá bem 'tá!) e gozar todos os cantinho da quinta (pelas fotos deve de ser uma maravilha!!! só espero que não me aconteça estar em obras...). Devemos de voltar depois do lanche (tenho necessidade de retomar a rotina de domingo ao fim da tarde).

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Regalias

Como já disse estou de regresso ao projeto que iniciei no início do ano.

Sou a mais velha, em termos de idade, antiguidade e senioridade e, consequentemente, sou a responsável pelo mesmo.

Tivemos que mudar de local de trabalho e deram-nos um gabinete que corresponde a um director (somos apenas dois, atualmente três, mas daqui a pouco mais de uma semana, ficaremos reduzidos a dois novamente).

Ora bem, o dito gabinete, apesar de não ser nada do outro mundo, tem duas mesas e as respectivas cadeiras.

Tendo eu chegado primeiro, não me fiz rogada e escolhi a mesa maior e, consequentemente, a melhor cadeira, ficando a restante equipa com a mesa menor (mas onde cabem duas cadeiras lado a lado) e com as piores cadeiras (sem rodinhas e não giratórias).

Na altura confesso que não pensei em como a simples localização da mesa e o respetivo equipamento poderia distinguir a posição que cada um ocupa dentro da equipa.

Se quando comecei a trabalhar, estas posições nunca eram evidenciadas, agora penso que faz cada vez mais sentido que o seja (pelo menos com os elementos desta equipa). Entristece-me que assim tenha que ser (ou então tive muito azar com quem me calhou na rifa), mas se a amostra que tenho aqui na sala for segnificativa, nem quero pensar em como é que vai ser o futuro...

Dos temas blogosféricos

Raramente falo num tema que esteja a ser debatido bloggosfera fora, mas este tema não posso deixar passar (nada do outro mundo, há temas bem mais sérios sobre os quais penso em debatê-los por aqui ou não, quem sabe um dia destes) - a hora da refeição na sala ou na cozinha?

Cá em casa as refeições são todas na sala (excepto quando o Pai almoça em casa e para se despaxar come na cozinha).

Estando só dois, três ou quatro, comemos sempre na sala. Aliás é esta a divisão em que passamos a maior parte do tempo em que estamos acordados (e em casa, que a malta cá é muito trabalhadora).

Fui habituada assim e muito me custou numa fase em que tivemos que comer na mesa da cozinha, em casa dos meus pais, porque na altura a sala foi transformada em escritório para o meu pai poder concluir a tese de mestrado.

E é à mesa da refeição que puxamos por eles e tentamos detalhar como correu o dia, num ambiente mais sossegado.

Fadinha dos dentes

Ontem quando os fui buscar o mais novo tinha a boca um pouco ensaguentada.

Espreitei e vi que o dentinho dele que abana há semanas estava "por um fio".

Uma Educadora que estava ao pé, pediu autorização e levou-o à casa de banho para o "extrair". Eu, Mãe-que-se-impressiona-com-o-arrancar-dentes, disse logo que sim.

Voltaram já com o dito embrulhado num papelinho e uma carinha super feliz!

À noite Mãe-desnaturada-que-já-nem-se-lembrava-do-ocorrido, foi alertada pelo filhote lindo que fica a falar à sopinha de massa que tinha que pôr o dentinho debaixo da almofada.

Hoje quando os fui acordar, já com a luz acessa, lembrei-me que sou uma Mãe-desnaturada e que não se lembrou que a Fadinha dos dentes não aparece por artes mágicas. Consegui ir buscar duas moedinhas e fazer a troca com o mais novo ainda a dormir.

E o que aconteceu? Filho mais novo com o sorriso mais lindo do mundo nem se lembrou de que lhe tinha caído um dente na véspera.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Que surpresa agradável

Estar a pensar que hoje ainda é terça-feira e descubro que afinal já estamos a meio da semana!!!

Apesar de ouvirmos a mesma canção

O mesmo não se passa quando falamos em gostos telivisivos.

O mais velho gosta de ver filmes como o Homem de Ferro, Homem Aranha e também se prende por um ou outro romance/aventura.

O mais novo sempre que fazemos um zapping e passamos por filmes/séries que envolva temas como guerra, zombies, vampiros, porrada e afins começa logo:

"Deixa, deixa! É muito fixe! Eu gosto muito!"

Claro que nunca viu nada, mas achamos imensa piada ao pedido convicto (e ao desespero do irmão que pensa que alinhamos na dele).

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Lá diz a canção do Rui Veloso

"Não se ama alguém que não ouve a mesma canção"

E connosco tem sido maravilhoso saber que os nossos filhos deliram com as canções que ouvimos!

Nas viagens o mais velho lá se vai queixando que sempre que está para adormecer passa uma canção que ele gosta (cá para nós, ele já não preciso tanto de dormir para recuperar).

O mais novo de vez em quando lá pede para nos calarmos para ele ouvir e cantarolar o que vai passando.

E apersar de não termos passado viagens e viagens a ouvir as mesmas músicas infantis vezes sem conta, é com alguma nostalgia que nos apercebemos que estão cada vez maiores.

O poder de se ser filho

Todas as preocupações se esquecem, todos os problemas desaparecem, todo o cansaço se evapora quando um filho se vira de repente e dá um abracinho e um beijinho apertadinho, só porque sim.

Especialmente o que não gosta muito de demonstrações de afeto.

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Quando se fecha uma porta

Abre-se sempre uma janela.

E vai ser uma grande surpresa para os nosso pequenotes!

Chegar a casa

E descobrir que tentaram assaltá-la...

Só me apetece bater naqueles que deixam sempre, mas sempre a porcaria da porta da rua aberta!

domingo, 6 de outubro de 2013

E mais uma vez

O Pai cumpriu o passeio Lisboa-Fátima em bicicleta.

E mais uma vez, acabei por ser a fotógrafa de serviço que registou a chegada!

Jogos

Estão a jogar ao peixinho.

Não sei qual é o mais batoteiro nem quem tem o pior perder...

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Está quase

Na hora de entrar em modo fim de semana.

Quem sai aos seus...

Cá em casa quem arruma tudo com muito jeitinho é o Pai. Seja gavetas do congelador, prateleiras da dispensa, gavetas de roupa, etc.

Claro que o carro, sempre que vamos de viagem, é o Pai quem arruma (enquanto eu continuo a aparecer com mais malas e sacos à entrada de casa).

Hoje o mais velho decidiu que iria arrumar a bagageira do carro (todo o santo dia tenho que reclamar com o mais novo porque atira com as coisas dele).

Primeiro as lancheiras, depois as mochilas deitadas e a minha mala.

No  fim admirou o trabalho que fez e com um sorriso de orelha a orelha pediu-me para tirar uma foto e publicá-la no Facebook.

Noã tirei foto porque agora ando com a câmara do telemóvel tapada por motivos profissionais.

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Já me estragaram o dia!

Esta malta mais nova, que trabalha há meia dúzia de meses (ou até mesmo mais), e que se acha com o rei na barriga não sabe o quanto custa a vida!

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Outubro

Comemora-se 12 anos de casados e 16 de namoro.

Uma vida partilhada a dois, a três e depois a quatro.

Cheia de alegrias e conquistas e também de tristesas e perdas. Lutas que ultrapassamos sempre com a certeza que "amanhã vem outro dia e que vai ser melhor que hoje". Rodeados por todos os que queremos - fisicamente ou não, mas sempre presentes.

Ajudamos a construir o futuro dos nossos rebentos para que um dia observemos os nossoss filhos voarem do nosso ninho e construirem os deles.

Que venham muitos mais com a certeza que basta um olhar, um movimento, um sinal.

Chamadas

Há chamadas que nos fazem sorrir. Pela sua simplicidade. Pela inocência das perguntas. Apenas porque se lembraram de ti.

Acabei de ter uma.

Acabei de ficar com o dia mais azul.

E com o Outubro

Começam muitas séries que gosto, espalhadas por diversos canais.

Há dias em que o que nos salva é o novo sistema que nos permite ver os programas com uma semana de atraso.

Juro que não entendo

Porque é que as pessoas não conseguem cumprir um horário.


segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Regresso

O desafio profissional que me lançaram no início do ano teve uma paragem forçada em maio (problemas internos na entidade com quem eu estava a trabalhar e que levou à susoensão do projecto).

Regressei hoje com o objectivo de o levar a bom porto e cheia de vonta de pôr a "mão na massa".

12

Fez no dia 17 de setembro 12 anos que a minha Mãe partiu.

12 anos em que aprendi a viver com a saudade e com a dor de não a ter comigo.

12 anos em que aprendi que temos de viver a vida e pensar no Agora (mas sempre com um olhinho no ontem para não nos esquecermos o que aprendemos e outro no amanhã para nos organizarmos e precavermos).

Um beijinho daqui até aí!

E talvez foi este o motivo porque não me esforcei em arranjar um tempinho para vir cá.

Há mais de duas semanas que não digo nada por aqui

É verdade.

Não por falta do que dizer nem por falta de vontade de o fazer, mas por falta de tempo.

Muito aconteceu neste período:

- A festa de aniversário do mais novo com os colegas foi um sucesso! Foi largamente comentada na escola por todos os coleguinhas (a ponto de a Professora ter feito referência à mesma na reunião com os Pais);

- A adaptação dele ao ritmo do primeiro ano não tem sido fácil;

- Os trabalhos de casa são feitos de acordo com a disposição dele: se está bem disposto correm bem, se entende que não quer fazer está tudo mal parado;

- Comentário da professora que o acompanha na sala de estudo: "ele é um bocado preguiçoso, não é?" (para nós é mais teimoso que outra coisa, mas enfim);

- Na semana passada veio com desenho de uma largarta giríssima colada no caderno. Tem 31 bolinhas a fazer de corpo e estão numeradas (sim, doutra forma não sabias quantas eram :P). Vão sendo pintadas ao fim do dia para refletir o comportamento dele. No primeiro dia teve logo bola vermelha. Nos seguintes tem sido amarela. Nem uma verde;

- O regresso à piscina também não está fácil (e mais uma vez a teimosia dele para fazer o que quer e quando quer);

- Este fim de semana esteve de castigo. Não houve Nintendos nem Wii para jogar. Jogos de tabuleiro e trabalhos de casa. Poucos desenhos animados;

- O mais velho, que ao princípio andava todo nervoso com os exames do 4º ano, acalmou. E acalmou tanto que já me está a fazer cócegas o não se lembrar a tempo que tem trabalhos de casa para fazer e que não deve de deixar para o último dia (domingo à tarde e ficar presa em casa porque há trabalhos de casa para fazer é demais para mim...);

- Anda a esticar a corda em demasia. Para não ficar a rir-se do irmão, também ficou de castigo;

- Este ano tem um horário mais carregado à conta de mais horas de inglês. Já era um objectivo nosso que ele tirasse um curso de inglês pelo Cambridge School para ficar pelo menos com o First Certificate. A escola este ano começou um protocolo com a Cambridge University para que começacem a ser preparados para os exames. Agarramos esta oportunidade (cada vez é mais difícil arranjar horários para estarmos os quatro em família e como ele já tinha que estar no colégio, melhor ainda - só à terça feira é que é complicado com ele a entrar às 8:15);

- No fim de semana de 21 e 22 tiveram ordem de soltura para gozar o último fm de semana de sol - festas de aniversários e convites para brincar de manhã à noite.Quase que não fiz outra coisa que não fosse andar de carro para levar um e outro (mas consegui arranjar tempo para ficar ou com um ou com o outro com o estatuto de filho único - e que diferença que faz!).

sábado, 14 de setembro de 2013

Hoje

É a dia da festa do mais novo com os amiguinhos!!!

Espera-nos uma tarde muito divertida com direito a beijinhos dos golfinhos e muitos animais!!!

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Do 1º dia da escola

Encontrei a Professora que me disse que enquanto os coleguinhas se estavam a apresentar ele estava a brincar com o estojo e com o livro de inglês e chamou-o à atenção.

Resposta do rapaz:

"Não te preocupes! Estou a ouvir tudo o que estão a dizer!"

A Professora desconfiada pediu-lhe para repetir e ele contou tudo o que o amiguinho tinha dito.

* Confirma-se, o rapaz parece que anda no mundo da lua, mas ouve tudo!

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

E lá ficaram

O mais velho habituado a estas andanças. Reviu os amigos que só hoje foram para o colégio, de certeza com muita conversa para pôr em dia.

O mais novo acordou todo entusiasmado e cheio de pressa.

Assim que ficou pronto foi ver o que eu estava a fazer:

- Despacha-te a tomar banho!

2 minutos depois:

- Ainda a tomar banho? Ah! Afinal já te vais limpar.

1 minuto depois:

- Mas tens que pôr isso? (enquanto eu punha o creme)

Lá lhe expliquei que o colégio ainda estava fechado, que ainda era muito cedo:

- A sério Mamã?

Acabou por sossegar um pouco, pelo menos o tempo de me vestir. Apanhou-me de novo da casa de banho:

- Já lavaste os dentes? O que é que estás a fazer? (enquanto punha o rimel)

- E isso é para tirar as remelas?

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Vacinas*

O mais novo tem que levar as vacinas dos 5-6 anos e optámos em dar-lhe apenas agora, com os seis anos feitos e a começar o ano letivo.

Temos que marcar com o centro de saúde dia e hora. Por mim não tem qualquer problema e eu até gosto de ter as coisas todas marcadinhas e que se cumpra os horários.

E a questão é mesmo esta: ligar para o Centro de Saúde e marcar.

Telefonei para o número que tenho e que me foi fornecido pelo próprio Centro de Saúde há seis anos (em três papelinhos diferentes). Atendeu-me uma senhora que me informou que o gabinete agora era de consulta médica e indicou-me qual o novo número (num tom profissional, nem muito simpática nem muito antipática).

Liguei para o novo número e vai de estar sempre interrompido. Tentei mais de 30 vezes no 1º dia.

Ao segundo dia, voltei a insistir e como o sinal era sempre o mesmo, liguei para o primeiro número e expliquei à senhora que não estava a conseguir ligar. Pois que no mesmo tom profissional me disse que tinha que continuar a insistir. Com a minha insistência, deu-me o número telefone geral, mas dizendo que lá não me iriam resolver o problema, que eu tinha mesmo é que insistir para o número das marcações.

Acabei por desistir de ligar e pedi ao Pai para ir marcar presencialmente as ditas vacinas (vantagens de quem tem mota e consegue estacionar com mais facilidade).

O Pai foi hoje ao Centro de Saúde e referiu que estava lá porque não se conseguia marcar telefonicamente, uma vez que o número que me deram estava constantemente interrompido. Explicaram-lhe que o telefone/linha se avariou e como a empresa que dava suporte faliu, não há como arranjarem o mesmo. Só mesmo ligando para o geral (que toca, toca, toca e ninguém atende) ou indo lá de propósito.

* Ou como andam os serviços públicos...

Amanhã

Vai começar uma nova etapa na nossa vida familiar.

Um a começar no 1º ano do 1º cliclo.

O outro a começar o 4º ano do 1º ciclo.

O primeiro que está pouco entusiasmado.

O segundo que já começa a acusar algum nervosismo com os exames de final de ano.

O primeiro que vai ter que se habituar a horas a trabalhar e chegar a casa sem poder brincar.

O segundo que vai ter que se habituar a trabalhar em casa com mais um ao lado.

Os pais a terem que gerir isto tudo depois de um dia de trabalho.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Ida à pediatra*

Ontem fomos à revisão anual dos dois.

Começou pelo mais velho que já está numa fase em que o diálogo é 90% entre os dois e os pais são meros espetadores (e deve de faltar pouco para que estas consultas sejam mais privadas).

Chegamos à vez do mais novo se despir.

O irmão comenta que ele tem os pés todos molhados e eis que sai um: "não cheguei a tempo à casa de banho e fiz pelas pernas a baixo... e não disse a ninguém...".

Passou o dia todo com os ténis, meias e pés encharcados em xixi (e eu com a pressa para chegar a horas nem me apercebi). Os calções secam rápido e as boxers também.

*Ou porque é que não há nenhum buraquinho para nos enfiarmos.
** Está tudo bem com os dois e isso é que interessa.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Ontem

Foi dia de comer isto


e isto



na nossa amada Feria de Luz!

Sou fã deste conceito


Preciso

Que este mês tenha muitos mais dias.

Organizar o regresso à escola dos dois (este ano com trabalho a duplicar), organizar a festa de anos do mais novo, idas às consultas (deles e minhas), pôr conversas em dia e afins... são algumas das tarefas que temos definidas para os nossos dias.

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Comichão

Hoje estou a sentir uma comichão nas mãos e no pézinho que acelera a máquina de costura...

Tenho umas encomendas para fazer, mas que têm sido adiadas devido à queda que dei (pézinho inchado ao fim do dia e dedo que ainda dá sinal quando faço mais força).

Estou a ver umas caixinhas e uns saquinhos que posso fazer em casa, aproveitando cartolina e afins.

Começar a pensar no Natal que não tarda nada está aí.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Fico passadinha de todo

Quando me passam apenas metade da informação.

Na semana passada fui à minha ginecologista que me pediu para fazer umas análises.

Dirigi-me ao balcão das análises para saber se as podia fazer logo. Não as pude fazer logo uma vez que teria de ser a primeira colheita do dia e deram-me o boião.

Hoje pedi ao marido para levar a colheita. Ligou-me e passou ao senhor que o estava a atender. Pois que tinha que ter feito o procedimento A e B para fazer a dita análise. Fiquei furiosa. Amanhã lá tenho que repetir a colheita. E perder mais tempo em filas.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Recomendo!



Para quem quer forrar os livros dos pequenos, esta é uma opção bem fácil e rápida, acabando por ajudar também os que recorrem  à AMI.

Acordar

Às seis da manhã com o mais velho aos gritos porque teve um pesadelo e com o mais novo a pedir água.

Susto sossegado e sede saciada e toca de irem todos para a cama dos Papás para mais uma horinha de sono.

terça-feira, 3 de setembro de 2013

E os interesses começam a ser outros*

Quando estavamos de férias, numa das idas à praia, demos com o F. a olhar muito fixamente para uma menina, com uns 13 anos, mas já com as forminhas bem deliniadas.

O Pai meteu-se com ele a perguntar se estava a ver o brinquedo a funcionar (ela estava a  brincar com um meninos de uns 3 anos) ou se estava a ver a menina.

A primeira reacção foi dizer que estava a ver o brinquedo, mas após o olhar de gozo do Pai, acabou por admitir, timidamente, que também estava a ver a menina.

No domingo tivemos outra demonstração em como ele está a começar a ter outros interesses: na hora de tomar banho, despachou-se e quando saiu da casa de banho viu que ainda estavam a dar os anúncios. Vestiu-se num ápice e, sentado-se no sofá, perguntou-me se eu tinha mudado de canal.

Eu - Não, porquê?
Ele - É que vai dar o H2O!
Eu - E o que é isso?
Ele - É uma série que tem três meninas que quando vão para a água se transformam em sereias!

Aguardei que começasse o episódio e confirmo que as três meninas afinal são três adolescentes todas jeitosinhas...

* Ou então, não estou preparada para isto!

Organizar

Materiais escolares para os dois.

Equipamentos de ginástica, judo e natação.

Arrumar o quarto e retirar os brinquedos aos quais já não ligam (eventualmente arranjar um móvel para guardar os jogos que por lá andam).

Organizar o espaço de estudo deles (cada um tem uma secretária).

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

E é nestas pequenas coisas que confirmamos que eles estão a crescer

Onde passamos férias, já lá vão muitos, muitos anos, há um carrocel que de dia e de noite, passeia os mais novos.

Desde pequeno que o F. adora lá andar. Todas as noites lá pedia uma voltinha (que a maior parte das vezes ficava-se apenas pelo pedir porque há que fazer escolhas e o meu filho preferia confortar o estômago com um doce regional).

No ano passado notamos que os pedidos eram mais para ver o irmão feliz do que pelo prazer dele.

Este ano, quando foram de férias em junho com os Avós, andou uma vez, mas achou uma tremenda seca (estamos na pré-adolescência... tudo é uma seca) e em agosto não quis andar (mesmo o irmão a oferecer-se para lhe pagar uma voltinha). Preferiu ficar de fora a fotografar as caretas do irmão.

O regresso à rotina

E o anseio pelas 18 horas para os ir buscar.

Do aniversário

Sábado o H. acordou cedo e bem disposto.

Depois do pequeno-almoço recebeu a prendinha dos Avós e  foi brincar.

Preparamos o almoço e a casa para a festa (com a família mais chegada que entretanto foi chegando).

A meio da manhã, começou a ficar preocupado - não estava a receber mais nenhuma prenda (não gostamos de lhes dar tudo duma só vez, optando por ir dando ao longo do dia para gozar ao máximo).

Ao fim da manhã chegou o resto da família e acabámos por ir quase todos dar um mergulho na piscina (brincadeira que se repetiu antes do lanche).

Durante a tarde foi recebendo o resto das prendas - jogos e legos (e ficou bem mais satisfeito).

Está a ficar um crescido o meu bebé.

Entrada na escola

O mais velho, finalista do 1º ciclo.

O mais novo, caloiro do 1º ciclo.

O mais velho com a tarefa de ensinar ao irmão onde é que vai deixar os seus pertences.

O mais novo, com muita pouca vontade. Viu colegas, amigos, educadoras e professoras com muito pouco entusiasmo. Espero que esta vontade passe rápido (segundo a professora dele, é normal, ainda está em ritmo de férias).

O que é certo é que os dois se esfumaram sem eu dar por isso.

O regresso deles

Ontem regressámos os quatro depois das férias de verão.

Foi com um misto de alegria e tristeza. Alegria porque regressaram ao ninho. Tristeza porque recomeçam as rotinas e os horários rígidos.

As horas parece que passam mais rápido. Querem fazer milhentas coisas ao mesmo tempo e acabam por muito pouco fazer.

A hora de deitar chegou rápido de mais e o sono nem vê-lo.

Hoje acordaram bem. O mais velho parecia um bocado perdido, sem saber muito bem onde é que estava.



sábado, 31 de agosto de 2013

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Queda - parte II

10 dias depois da queda, e continuando com algumas dores e pé e mão inchados, lá fui ao hospital tirar uns raios-x para ver o que se passava.

Em termos ósseos está tudo bem e recomenda-se.

No pé tenho uma rotura de ligamentos e no dedo uma tendinite pós traumática (adorei o nome).

Descanso e anti-inflamatório.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Já o tenho!

O telemóvel!

Do anel ainda sem notícias :(.

Pontaria

Ando há algum tempo para comprar um anel.

Namorei alguns, tudo por imagens, sempre a pensar que um dia destes tinha que passar pela loja para ver ao vivo e a cores.

Ontem foi o dia, ou melhor, a noite de entrar na loja para ver. Dirigi-me de imediato ao expositor onde estavam os anéis e experimetei alguns dos que já tinha namorado e outros que entretanto surgiram.

Escolhido o anel, fui ao balcão para fazer o respetivo pedido. Olhando em volta, reparo que as prateleiras estavam um pouco vazias.

Pois que estão em mudanças e já têm muito pouco material na loja e, claro, já não têm o meu tamanho. Ficaram de confirmar se na nova loja têm o tamanho e que hoje me ligariam a dizer alguma coisa.

E logo hoje que não trouxe o telemóvel.

Deixei o telemóvel em casa

E parece que ficou parte de mim lá.

Falo muito pouco com o dito, mas o saber-me incontactável deixa-me doente.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Família

Esta altura do ano é um pouco difícil para mim, principalmente o mês de setembro.

Não tem nada a haver com o facto de se iniciar um novo ano letivo, ou porque se aproxima o outuno e os dias encurtam, as atividades ao ar livre também começam a ser cada vez menos.

Em setembro vai fazer 12 anos que a minha Mãe partiu.

Um maldito cancro que apareceu de forma tão repentina que quando soubemos o que era, já ela tinha partido.

Desde essa altura, perdi todos: Avós Maternos, Pai, Avó Manterna.

Sobrou-me um irmão que pouco ou nada quer comigo (nunca nos zangámos, nunca fizemos mal um ao outro, mas devido à forma como crescemos e fomos educados, nunca criámos laços de amizade, quanto mais de irmãos - e vivemos sempre na mesma casa, supostamente eramos uma família estruturada). De há um ano para cá, mal dá sinal de vida. Falamos pelos aniversários e sempre conversas rápidas, como estranhos que somos um ao outro.

Custa-me muito.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Nadar

Depois de na natação ter desiludido porque está atrasado (muito à conta de querer andar sempre na palhaçada), eis que o mais novo decidiu dar corda aos pés e este fim de semana começou a fazer piscinas.

Com o incentivo de ver quem é que ganhava (ele ou o irmão), começou a perder o medo e a ganhar confiança e força para atravessar a piscina duma ponta à outra.

Pronto, posso dizer que o mais novo já sabe oficialmente nadar.

A ver como corre este ano na natação.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Mais uma semana que começa

A última de férias deles.

Eles continuam pelos Avós.

Nós fomos passar o fim de semana com eles com muita piscina, uma visitia ao Quartel dos Bombeiros da terra, brincadeira, cromos, mimos.

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Como temos que ter cuidado com o que dizemos*

Família de férias.

Mãe vê três lojas seguidas de roupa interior em promoções e decide espreitar (não sei porque me dou ao trabalho, chego sempre á conclusão que tenho que ir à loja do costume comprar o modelito da praxe...).

Passa o tempo todo a ouvir o mais novo: "Olha Mamã, isto ía ficar-te muito bem! Olha tão giro! Porque não levas? Ías ficar muito gira com isto!" (é o único que quer pôr a Mãe linda e que quer escolher-lhe a roupa que deve de comprar - sempre tudo o mais colorido possível). Safa-me o facto de terem a música bem alta para não ter meio mundo a ver as escolhas na Mãe.

Entretanto chega o resto da família.

Pai espreita os fatos de banho para ver se há algum modelo que sirva para a próxima época na piscina. No fim, chama o mais novo e diz-lhe:

- Este fato de banho ía ficar-te muito bem!

E mostra-lhe um todo colorido, cheio de folhinhos e florzinhas! Rapaz faz o olhar "sei que estás a gozar comigo!".

Saímos da loja entramos na do lado - bem mais pequena, com roupa bem mais sexy. Mãe e mais novo à frente. Pai e mais velho atrás.

Chegamos a um expositor, o mais novo pega num sutiã todo cheio de rendinhas em preto com um toque salmão e diz-me (alto e bom som):

- Mamã! Isto ficava tão bem ao Papá!!!

Visita rápida na loja porque as empregadas ficaram a olhar para nós de maneira diferente...

* ou é melhor não espicaçar muito o mais novo!

Que dia mais comprido...

Ou quando queremos que o dia passe rápido parece que os segundos passam a demorar o trípulo do tempo...

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Queda

À saída de casa, torço o pé direito (o único que desde que me lembro que sofre deste mal) e estico-me ao comprido entre dois carros (menos mal que assim ninguém viu).

Levanto-me (tão depressa quanto me estiquei), verifico que a roupa estava limpa e continuo o meu caminho sem mal conseguir pôr o pé no chão.

Passei o dia com dores no pé/tornozelo, fazendo por me levantar/andar o menos possível. O polegar da mão direita também estava um bocado inchado.

Cheguei a casa e estiquei-me com gelo no pé e na mão (tornozelo e dedo inchados...).

Passei uma noite mázinha: de cada vez que tinha que me mexer, lá acordava para movimentar-me devagar.

Hoje tenho o pé menos inchado, mas o dedo está assim um bocado trambolho. Felizmente não tenho muitas dores (nada comparado com as que tive ontem).

Cromos

Vamos fazer com os miúdos esta colecção:



Raramente fazemos, mas esta, pelo tema que sabemos que o mais velho gosta (e não só), não a vamos perder.


terça-feira, 20 de agosto de 2013

Calendário Escolar

Acabei de receber o calendário escolar com os início e fins dos períodos, bem como os dias dos exames do 4º ano.

Registeui tudo no calendário e a enviei para o Marido.

Às tantas, começo há procura das datas do Pré-Escolar e a começar a reclamar (para mim mesma) que deviam de ter mandado tudo duma só vez, que assim despachava logo o assunto.

Eis que de repente se me fez luz - os meus dois Filhos já estão no 1º Ciclo. Hábitos de seis anos que demoram a ajustar-se a uma nova realidade.

Como eu gosto dos ares condicionados

Quase três semanas de férias em que foram muito poucas as vezes que estive em ambientes com AC.

Exceção feita para quando estive em casa dos Sogros e que por muito me encolhesse no sofá, ainda sentia o ar gélido que pairava.

Regressei ontem ao trabalho onde há o dito. Apesar de não o sentir diretamente, quando entro na rua, sinto que estou geladinha, o que me diz que estamos quase na Sibéria (bem sei que caso contrário, era um cheiro que não se podia...).

Outro sintoma é uma dorzinha de garganta que começa a aparecer.

Normalmente é no verão que costumo apanhar uma senhora amigdalite. Parece-me que vai ser agora...

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Regresso

No Sábado depois do jantar deixámos os pequenos com os Avós e regressámos à nossa casa.

Sabe sempre bem o retorno ao nosso lar. Foram três semanas por terras e casas que, apesar de serem nossas, não são o nosso lar.

Passamos por cá a meio da semana passada para deixar algumas coisas. Mas foi entrar e sair. Apenas o mais novo conseguiu estar uns 15 minutos com os seus amiguinhos (conto mais tarde).

Na despedida dos miúdos, o mais novo começou a coçar muitos os olhinhos e com um queixinho muito tremelicas. O Mano foi dar-lhe um abracinho.